Miesperanza

7International

Parcerias Internacionais

O MIESPERANZA    

O MIESPERANZA É REGISTRADO NO

 

 

 

 

 

 

 CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO

  

Muitos de nossos ex-alunos, já inseridos no mercado de trabalho estão, dedicando-se a pesquisas, buscando assim, contribuir de forma cada vez mais eficaz para uma melhora significativa de nossa sociedade. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) é uma agência do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) destinada ao fomento da pesquisa científica e tecnológica e à formação de recursos humanos para a pesquisa no país. Sua história está diretamente ligada ao desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil contemporâneo. Além de participar do CNPq, a comunidade científica e tecnológica do país participa também em sua gestão e política por meio dos Comitês de Assessoramento, de Apoio Técnico -Cientifico, várias entidades de ensino, dentre elas o MIESPERANZA.


 

ACADEMIA MUNDIAL DE CIÊNCIAS HUMANAS

 O MIESPERANZA faz parte e na pessoa do Dr. Zilmar Ferreira Freitas  é membro fundador da ACADEMIA MUNDIAL DE CIÊNCIAS HUMANAS, cujo objetivo principal de, a congregação de cientistas de diferentes áreas do conhecimento e em outros países , para a defesa da paz mundial , direitos humanos e desenvolvimento humano , exercendo os seus serviços diplomáticos para a promoção da paz mundial entre as nações, que simpatiza e socializa seus conhecimentos CIENTÍFICA PARA A PROMOÇÃO DA CIÊNCIA E INVESTIGAÇÃO EM EMPRESAS QUE NÃO TEM CONDIÇÕES de desenvolvimento de projetos científicos . É uma associação de direito privado , constituída por tempo indefinido , sem fins lucrativos, com sede na cidade de Santa Maria- RS , em busca de CIENTISTAS de colaboração voluntária de desenvolver estudos científicos e pesquisas para a promoção da saúde mental, a educação ea formação da sua inteligência potencial de todos os cidadãos do nosso país e em qualquer parte do nosso planeta .

 


  ASSOCIAÇÃO FRANCESA DE PSICANALISE EVOLUTIVA E HUMANISTA

 Fundada em 2006 por psicanalistas Manuel Galán Jean-Yves Metayer-ROBBES, ambos membros da Associação Europeia de Psicanálise, a AFPEH é hoje reconhecido internacionalmente como uma das grandes entidades psicanaliticasa que oferece educação individual teórica continuada, bem como consultas por telefone ou privada em Le Havre / França, pela nomeação de psicanalistas Humanistas no Mundo Contemporâneo.  O seu objetivo principal é o de regularmente compartilhar seu trabalho com o objetivo de promover a pesquisa em psicanálise humanista e outros métodos relacionados, promovendo o desenvolvimento do ser humano.  Através do dr. Zilmar Ferreira Freitas, o Miesperanza está ligado a esta Associação Psicanalitica Internacional.




 

 

 

 

 

 

 

A ADMIR é uma Organização Diplomática Intergovernamental internacional, reconhecida por Agências Internacionais e Nações Unidas.

O MIESPERANZA faz parte da ADMIR desde 2015 e vem acompanhando os eu trabalho humanitário por todo mundo.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 O Impacto Acadêmico das Nações Unidas (UNAI) é uma iniciativa global que alinha as instituições de ensino superior com as Nações Unidas em promover a realização dos propósitos e mandato da Organização através de atividades e pesquisa em uma cultura compartilhada de responsabilidade social intelectual.   O MIESPERANZA faz parte desta iniciativa global.

 

 

Bem vindo ao site Miesperanza

PROGRAMA: Escola Legal

Estudar em escola irregular pode causar sérios prejuízos à formação dos estudantes. Por esta razão, 

no ato da matrícula, é preciso conferir se o estabelecimento de ensino está ou não autorizado a oferecer serviços educacionais na área da psicanálise.

As escolas a seguir, estão autorizadas a ministrar curso livre de formação psicanalítica, com grade curricular equivalente ao ensino superior, bem como: pós formação, especializações, mestrado e doutorado em psicanálise. Ressaltamos que, as Escolas de Psicanálise, Institutos, Sociedades Psicanalíticas não sofrem fiscalização do MEC, por não possuírem nenhum vinculo com este órgão, em virtude de serem cursos livres.

ESCOLAS reconhecidas pela SOCIEDADE PSIC. MIESPERANZA

 A Diretoria da Sociedade Psicanalítica MIESPERANZA, amparada na Constituição Federal do Brasil, itens XII art. 5o. e II art. 206, certifica que as ESCOLAS abaixo estão habilitadas e aptas a exercer a prestação de serviços educacionais na FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM PSICANALISE e foram reconhecidas com o selo deESCOLA LEGAL. Esse selo reconhece o valor da instituição de ensino que se compromete com a qualidade da excelência e a ética no processo do ENSINO DA PSICANALISE.    

Também, identificamos o trabalho da escola que se empenha pela permanente busca do conhecimento com seriedade e compromisso.

1.INSTITUTO AVANÇADO DE PSICANALISE MIESPERANZA (Escola Oficial/Brasil: Região dos Lagos, Rio(Botafogo), São João de Meriti/RJ, C. Lafaiete, Contagem, Ouro Preto e Ouro Branco, Montes Claros/MG, Itaipava/ES)

2.ACADEMIA PSICANALITICA DE ENSINO E PESQUISA LTDA (Rio de Janeiro/RJ)

3.CENTRO DE ESTUDOS PSICANALITICOS TEOL EDUC E PEDAG LTDA (Cuiabá e Rondonópolis/MS)

4.INSTITUTO KOINONIA DE PSICANÁLISE—GETSEMANE (Belo Horizonte/MG)

5. INSTITUTO BITTENCOURT (Juiz de Fora/MG)

6. INSTITUTO JAIRO CARIOCA (Rio de Janeiro/RJ)

7. CLINICA ESCOLA DE PSICANALISE (BELO HORIZONTE/MG)

8; GAEP - GRUPO ACADEMICO DE ESTUDOS PSICANALITICOS (Belo Horizonte/MG

 

Se a sua escola deseja se filiar, favor mandar uma email para: spm@miesperanza.org.br


 Todos os psicanalistas e estudantes de psicanalise dos polos avançados e das escolas legais podem solicitar aqui os seguintes documentos:

( 1 ) Código de Ética da Sociedade Psicanalítica Miesperanza

( 2 ) Grade Curricular e Ementa das Disciplinas da Formação Psicanalítica

(3) Manuais: Análise Didática, Estágio Supervisionado,  Grupo de Estudos, 

(4) Orientações sobre o Processo de Formação em Psicanálise


 O PSICANALISTA E A FORMAÇÃO PERMANENTE

Como se forma um psicanalista? esta antiga pergunta permanece de difícil resposta.

Freud tentou fornecer em vários de seus trabalhos algumas indicações do que ele, o criador da psicanálise, imaginava como adequado para alguém ser um psicanalista.Os Textos técnicos, a Análise leiga e as inúmeras indicações de sua atuação nos Casos clínicos podem conter algumas pistas do que poderia ajudar numa formação.

Desde a criação da International Psychanalitic Assotiation muita coisa mudou. Vários foram os motivos para estas mudanças. Depois da morte de Freud, a herdeira natural de seu legado, Anna Freud junto com Ernest Jones tiveram uma voz ativa na Sociedade psicanalítica, conhecida entre nós como a IPA.

Inúmeros os historiadores da psicanálise descreveram com detalhes o movimento que se expandira em vários países e cuja política era determinada por aqueles que se sucederam após o falecimento dos pioneiros. O arquivo com os textos inéditos de Freud ficaram sob a guarda de sua filha, a espera de sua publicação durante décadas.

Cada “IPA local” tomou um pouco do colorido do país aonde ela se estabeleceu. Se tomarmos o exemplo brasileiro, podemos lembrar do pioneirismo paulista na criação da Sociedade Brasileira de Psicanálise e as influencias culturais que incluíram até os ares da Semana de 22. Com um restrito grupo Tarsila do Amaral, também se juntou nas leituras da obra de Freud. Mas, como nem tudo são flores, as Sociedades se

dividiram em conseqüência de divergências teóricas, políticas, pessoais e com isto as rígidas regras de formação foram se modificando.

Hoje, permanecem nestas sociedades ligadas a IPA a figura do analista didata, das supervisões obrigatórias, a apresentação dos relatórios de 2 casos analisados (um homem e uma mulher), o estudo teórico que inclui diversos autores pós freudianos e a exigência que o candidato a psicanalista seja médico ou psicólogo

É evidente, que uma formação na IPA por motivos teóricos e ideológicos não agradou a muitos. O mais destacado deles, até agora, foi Jacques Lacan que após a sua expulsão da IPA, resolveu mudar muitas das regras do que seria o exercício da psicanálise. Não pretendemos aqui descrever todas as transformações propostas por ele. Mas, a extinção dos analistas didatas, a abertura para qualquer pessoa, médica, psicóloga ou não, poder participar da Escola, o tempo e número de sessões a freqüentar, o estudo teórico em cartéis, o passe e muitas outras inovações atraíram candidatos em todo o mundo.

Como a IPA, a Escola de Lacan sofreu contestações, divisões e também deixou herdeiros. Hoje, J.A. Miller genro e próximo colaborador de Lacan detém os direitos autorais de sua obra e de Paris envia suas coordenadas do que deve ser estudado. Seus textos tentam acrescentar e fazer compreender o que Lacan deixou em seus Escritos e Seminários.

No Brasil, existem inúmeras escolas lacanianas, a maioria rompida com J.A. Miller mas, bastante fiéis aos ensinamentos de Lacan.

Como ficariam então as formações de psicanalistas, uma vez que existem também, muitas sociedades e grupos de estudiosos da obra de Freud? não é nada simples responder a esta questão. Precisamos levar em conta que não só Lacan criou uma escola. O suíço Carl Jung, William Reich, para citar os que institucionalizaram as suas idéias, mas também Melanie Klein, Ferenczi, Françoise Dolto acrescentaram novas teoria e técnicas a psicanálise. Estes autores são apenas exemplos das diversas correntes teóricas presentes até hoje. Cada uma destas escolas e teorias imprime um modo de praticar a psicanálise.

Mas, o que fica de essencial em toda esta trajetória? pelo que já foi exposto, o caminho é cheio de variantes técnicas, teóricas, ideológicas, culturais e até geográficas. Algo, no entanto, permanece no centro de uma formação que deverá ser permanente, a análise pessoal.

A análise pessoal, esta exigência que vem deste Freud é a formação do próprio analista enquanto sujeito em conflito com ele mesmo e o mundo. Como lidar com a própria neurose e com o tão falado mal estar na cultura/civilização?

_ “Vai ver isto na sua análise”, podemos dizer para os conflitados colegas psicanalistas mais próximos.

Mas a escolha do analista pessoal, ou seja aquele com quem o futuro analista fará a sua análise também vem de algum lugar. Mas de que lugar? de qual formação, de qual sociedade ou escola? as ofertas de formação são inúmeras, a escolha de um psicanalista por aquele que deseja estudar teoria e ser psicanalista é uma tarefa bastante longa e complexa.

Tudo o que se estuda sobre transferência, o lugar do custo financeiro de uma análise pessoal, o que ela pode provocar de auto conhecimento e muito mais, não delimita como deverá ser uma formação. Daí, a necessidade deste tema estar sempre presente, ser pensado, trabalhado e discutido por todos aqueles que por algum motivo, se envolveram de modo efetivo com as idéias de Freud.

Susan Guggenheim (membro titular da Formação Freudiana)

Política de cookies

Este site utiliza cookies para armazenar informações no seu computador.

Você aceita?

874-807-0014